APAV 30 Anos | Recital Solidário com Jorge Moyano | Theatro Circo

Publicado .

No âmbito das comemorações do 30.º aniversário da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, o Theatro Circo em Braga vai acolher um recital solidário com o pianista Jorge Moyano, no dia 10 de Julho às 21h30.

O pianista vai interpretar obras de Chopin, Liszt e Gershwin. Através da música, a APAV brinda a todos/as que têm partilhado o trabalho e a dedicação destes 30 anos.

A bilheteira reverte para a APAV e os bilhetes estão disponíveis online e na bilheteira do teatro (10€). A lotação da sala foi limitada, a APAV e o Theatro Circo cumprem todas as regras de saúde pública.

Bilhetes: Bilheteira Online

Apoios: Theatro Circo | Antena 2 | Creative Lemons

Covid-19: FCT selecciona 16 projetos para estudar impacto de género da pandemia

Publicado .

publico logo valido

"Universidades, centros de investigação e uma associação, com 16 projectos para estudar violência doméstica, impactos no trabalho e saúde mental de grávidas em contexto de covid-19, arrecadaram meio milhão de euros para estudar impactos de género da pandemia.

concurso “Gender Research 4 Covid-19” promovido pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), em articulação com a Secretaria de Estado para a Cidadania e a Igualdade e o apoio da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG), lançado pelo Governo para estudar impactos de género no âmbito da pandemia, recebeu 145 candidaturas, das quais 16 foram seleccionadas para receber financiamento, no total em cerca de 506 mil euros, com origem em fundos nacionais através do orçamento da FCT, refere a fundação em comunicado.

Universidades, centros de investigação e uma associação, com 16 projectos para estudar violência doméstica, impactos no trabalho e saúde mental de grávidas em contexto de covid-19, arrecadaram meio milhão de euros para estudar impactos de género da pandemia.

(...)"

Fonte: Público

Exposição: 30 Anos pelos Direitos das Vítimas | Fundação José Saramago

Publicado .

No âmbito das comemorações do 30.º aniversário da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, a Fundação José Saramago acolhe a Exposição "30 Anos pelos Direitos das Vítimas". Esta exposição reúne um conjunto de campanhas de sensibilização marcantes, promovidas pela APAV ao longo da sua história. A exposição foi inaugurada no dia 24 de Junho, com a presença de Pilar del Río (Presidenta da Fundação José Saramago) e João Lázaro (Presidente da APAV). A exposição estará patente na Fundação José Saramago (Casa dos Bicos), em Lisboa, até dia 8 de Julho.

Horário
Casa dos Bicos | Rua dos Bacalhoeiros, 10 | Lisboa
De segunda a sexta: das 11h00 às 17h00
Sábados: das 10h00 às 18h00

No âmbito da exposição, no dia 8 de Julho, às 18h30, a Fundação José Saramago irá acolher uma conversa sobre os 30 anos da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. A conversa irá contar com a participação de Raquel Simão (gestora do Gabinete de Apoio à Vítima de Oeiras e directora técnica do Centro Temporário de Acolhimento de Emergência) e moderação de Sérgio Machado Letria (director da Fundação José Saramago). A conversa será complementada com uma leitura de textos pela actriz Mafalda Santos.

Confirme a sua presença na conversa através do email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. A APAV e a Fundação José Saramago cumprem todas as regras de saúde pública.

APAV 30 Anos | Exposição OLHA | Proença-a-Nova

Publicado .

No âmbito das comemorações do 30.º aniversário da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, a Galeria Municipal de Proença-a-Nova acolhe a Exposição "Olha" de Valter Vinagre. Esta exposição reúne um conjunto de trabalhos do fotógrafo Valter Vinagre, sendo o resultado de uma colaboração com a APAV, com o objetivo de retratar o universo das vítimas de crime em Portugal.

Como fotografar o silêncio? Como fotografar o invisível ou o velado? Desde que há fotografia – melhor seria dizer, desde que há imagem – que o problema se põe. Seja porque o que está em causa são conceitos e não realidades tangíveis, seja porque essas realidades se furtam absolutamente ao olhar da câmara. A violência doméstica, entendida como fenómeno alargado, é um destes casos. É omnipresente em todas as sociedades, mas invisível. É ilegal (é mesmo um crime público) na nossa, mas resistente à sanção social e à lei. O que é novo na modernidade não é a violência, mas, por um lado a natureza dessa violência e, por outro, o modo como a vemos e a enquadramos entre o espaço público e privado. O seu território, o seu capital de impunidade é precisamente esse círculo fechado que constitui a privacidade, que deixa à porta o Estado, as leis, a urbanidade exigível aos comportamentos. (...) Poucos assuntos podiam ser menos atraentes e mais destituídos de glamour e de fotogenia como a vida das pessoas vítimas de violência. O circuito mediático guarda-as normalmente para encarniçar em nós a faceta humanista que todos julgamos ter. A serenidade cúmplice das imagens de Valter Vinagre recusa liminarmente essa parasitagem. No fundo elas dizem uma só coisa de diferentes maneiras. Olha. Compreende o que puderes. Se puderes. E age. Se puderes.
Celso Martins

A exposição será inaugurada no dia 18 de julho e estará patente até 31 de agosto.

Galeria Municipal de Proença-a-Nova
Parque Urbano Comendador João Martins
Largo Chão D'Ordem | 6150-523 Proença-a-Nova

Histórias APAV na primeira pessoa | Raquel Simão

Publicado .

No âmbito da celebração dos 30 Anos APAV, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima apresenta as Histórias APAV na primeira pessoa.

Trata-se de um conjunto de vídeos onde técnicos/as e voluntários/as, actuais e antigos/as colaboradores/as, fazem relatos na primeira pessoa onde partilham histórias de sucesso e percursos pessoais.

Veja o testemunho da Raquel Simão, Gestora do Gabinete de Apoio à Vítima de Oeiras e Diretora de uma Estrutura de Acolhimento de Emergência para mulheres vítimas de violência doméstica da APAV.