• banner CARE 404x132 v2

III Escola SOMOS: APAV implementou "Biblioteca Humana"

Publicado .

A Câmara Municipal de Lisboa, no âmbito do Programa SOMOS, promoveu de 10 a 15 de julho de 2017 a terceira edição da Escola SOMOS, que se realizou no Liceu Camões, em Lisboa.

Um dos eventos promovidos foi a "Biblioteca Humana", que teve lugar no dia 13 de julho. Esta actividade foi implementada pela APAV e teve como objetivo a promoção do diálogo, o respeito pelos direitos humanos e o combate ao estereótipo.

Neste sentido, o evento contou com a participação de vários "livros", pessoas que interagem com leitores num clima de mútua aprendizagem. Todas as sessões/"leituras" contaram com moderadores/facilitadores da APAV. O evento foi muito participado e resultou numa verdadeira experiência de enriquecimento pessoal dos participantes. 

APAV Notícias #76 | Julho 2017

Publicado .

A newsletter APAV Notícias, boletim informativo da APAV, apresenta um resumo das actividades mais recentes da Associação. A edição #76, julho de 2017, reúne informação sobre: a terceira edição do Prémio APAV para a Investigação; a visita da delegação da Comissão Nacional para os Direitos Humanos e a Cidadania de Cabo Verde; a publicação do Relatório de Tráfico de Seres Humanos do Departamento de Estado Norte Americano; e o evento "Biblioteca Humana", implementado pela APAV na terceira edição da Escola SOMOS. A newsletter inclui ainda vários destaques. Consulte aqui a newsletter:

APAV Notícias #76 | Julho 2017

22 Julho | Dia Europeu de Ação pelas Vítimas de Crimes de Ódio

Publicado .

Desde o ano de 2013 que se assinala a 22 de julho o Dia Europeu de Ação pelas Vítimas de Crimes de Ódio. Pretende-se com esta efeméride consciencializar a população para a existência de crimes de ódio no espaço europeu, expressando solidariedade para com as vítimas e reforçando a necessidade do cumprimento da lei nesta matéria numa perspectiva de prevenção e condenação deste tipo de comportamentos.

Os crimes de ódio são infrações ao abrigo do direito penal motivadas por preconceitos (ódio) contra determinados grupos de pessoas. O impacto deste tipo de atos criminosos nas pessoas que são vítimas determina-se não apenas nas consequências do próprio ato (por exemplo, nas consequências físicas e psicológicas de uma agressão, de um furto, de uma destruição de património próprio, etc.), mas também por este ser motivado por uma ou mais características fundamentais que as definem enquanto seres individuais.

Por outro lado, as vítimas são habitualmente o veículo que os atores do crime seleccionam para passar uma mensagem de intimidação ou ódio à comunidade ou grupo ao qual a vítima pertence afectando, desta forma, não apenas os seus alvos diretos, como também o grupo/comunidade a que pertencem, podendo gerar um sentimento colectivo de insegurança e medo.

Como forma a melhor responder às reais necessidades deste tipo de vítimas (individuais ou colectivas), a APAV tem vindo a desenvolver esforços na qualificação dos seus Técnicos de Apoio à Vítima para áreas específicas como a discriminação e os crimes de ódio. A APAV desenvolveu a Rede UAVM+D (Unidade de Apoio a Vítimas Migrantes e de Discriminação) – Lisboa, Vila Franca de Xira e Açores, que visa prestar uma melhor resposta e obter uma melhor articulação de esforços no apoio específico a este tipo de vítimas.

Encontra-se igualmente em fase de execução o projecto “Ódio Nunca Mais” (“Hate no More”), promovido pela APAV e co-financiado pela Comissão Europeia no âmbito do Programa Direitos, Igualdade e Cidadania da União Europeia. Este projecto que conta com a participação de seis parceiros internacionais e três nacionais objetiva a criação de ferramentas úteis à sensibilização e formação no combate aos crimes de ódio e discurso de ódio, na perspetiva das vítimas, pelo meio da elaboração de procedimentos e treino multidisciplinar. Especificamente, o este projeto procura sensibilizar, a sociedade civil no geral e as potenciais vítimas em particular, para este tipo de crimes, contribuindo para um aumento do número de crimes de ódio reportados às autoridades e da procura de serviços especializados por parte destas vítimas.

Prémio APAV para a Investigação 2017: Candidaturas até 31 de Julho!

Publicado .

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima promove em 2017 a terceira edição do Prémio APAV para a Investigação, com o apoio da Fundação Montepio.

O Prémio APAV para a Investigação destina-se a premiar trabalhos de investigação científica sobre temas ou problemas relacionados com a missão da APAV: “Apoiar as vítimas de crime, suas famílias e amigos, prestando-lhes serviços de qualidade, gratuitos e confidenciais e contribuir para o aperfeiçoamento das políticas públicas, sociais e privadas centradas no estatuto da vítima”.

Estão abertas as candidaturas para o Prémio APAV para a Investigação 2017.

Condições gerais:
- O Prémio APAV será atribuído anualmente pela APAV a um trabalho inédito, desenvolvido em língua portuguesa.
- O Prémio APAV será atribuído a um trabalho que contribua para o conhecimento geral ou específico dos temas ou problemas relacionados com as vítimas de crime, ou para a melhoria de qualidade dos serviços de apoio à vítima em Portugal.
- O Prémio APAV será atribuído a um trabalho desenvolvido em áreas científicas diversas, tais como Direito, Psicologia, Serviço Social, Sociologia, História, Economia, Saúde, Antropologia, Criminologia, Vitimologia, Pedagogia, etc.

Formulário de Candidatura [Link]
Consulte aqui o Regulamento [PDF].

A data limite para o envio das candidaturas foi prorrogada até 31 de Julho de 2017.

Informações e candidaturas:
apav.pt/premioapav2017

APAV recebe visita da delegação da Comissão Nacional para os Direitos Humanos e a Cidadania de Cabo Verde

Publicado .

A APAV recebeu no dia 6 de julho a visita de uma delegação da Comissão Nacional para os Direitos Humanos e a Cidadania de Cabo Verde. A delegação da Comissão Nacional de Cabo Verde encontra-se em Portugal para conhecer algumas instituições que trabalham com os Direitos Humanos e explorar a possibilidade de parcerias. Na reunião, que teve lugar na Sede da APAV em Lisboa, estiveram presentes Zaida Morais de Freitas (presidente da Comissão Nacional), Arlindo Sanches (assessor jurídico), Frederico Marques (assessor técnico da direção da APAV) e Joana Menezes (assessora técnica do Gabinete de Apoio à Vítima de Lisboa / UAVMD).