• banner CARE 404x132 v2

Público: "O stalking não é uma doença, mas um crime cada vez mais denunciado"

Publicado .

"Perseguição, stalking, assédio persistente são algumas das expressões utilizadas para designar um crime que tem vindo a aumentar nos últimos três anos. O PCP apresentou esta semana na Assembleia da República uma proposta de alteração da lei que introduziu no Código Penal português o crime de perseguição.

As medidas de afastamento previstas pelo artigo 200.º do Código de Processo Penal não abrangem as vítimas deste crime, que podem estar sujeitas a contactos indesejados com os arguidos até ao momento da condenação em tribunal. Com esta proposta, o PCP procura protegê-las de uma forma preventiva. O deputado responsável pelo documento, António Filipe, explicou ao PÚBLICO que a “notoriedade pública” e o aumento das queixas foram as razões que mobilizaram o partido.

Esta é uma proposta consensual entre os partidos com assento no Parlamento. A deputada bloquista Sandra Cunha informa que o BE irá apresentar um projecto na mesma linha do dos comunistas. “Parece-nos a solução mais adequada neste momento”, diz. O PS também o fará, “possivelmente em Fevereiro”, avança fonte do partido, tal como o PAN, que ainda não adianta os “moldes exactos” em que o fará. Para o CDS é preciso ir mais longe e proceder a uma revisão completa do Código Penal, o que não irá acontecer nesta legislatura. “Estamos a analisar e a avaliar fazer só essa emenda ao Código Penal. A realidade demonstrou que ela é urgente”, declara a deputada Vânia Dias Ferreira. O PSD e Os Verdes não esperam sugerir alterações, dizem os assessores dos partidos. (...)

Os dados do último relatório da Associação Portuguesa de Apoio à Vitima revelam que em 2017, o stalking foi o quarto crime a registar mais vítimas: ao todo foram 422 pessoas as que apresentaram queixa – cerca de 2% do total de crimes contabilizados pela associação. Em 2014, antes da entrada em vigor da actual lei, era 1,6%. A maioria das queixas recebidas pela APAV provém de mulheres (88,9%) que partilham uma ex-ligação com o autor do crime e cuja idade média é 40,7 anos. (...)"

Fonte: Público

APAV presente no Dia da Psiocologia do Parlamento Europeu

Publicado .

A Ordem dos Psicólogos e a European Federation of Psychologists Associations promoveram a primeira edição do Dia da Psiocologia no Parlamento Europeu: "European psychologists as a resource to face European society major challenges". O evento teve lugar no dia 30 de janeiro, no Parlamento Europeu em Bruxelas. O psicólogo Bruno Brito (APAV) esteve presente no evento e apresentou a comunicação "Refugees, Europe and Psychology role in inclusion".

Caminhada Solidária Portimão | 9 Fevereiro

Publicado .

No âmbito das Comemorações de Portimão como Cidade Europeia do Desporto, a Dual promove uma Caminhada Solidária, que acontece no dia 9 de Fevereiro de 2019 (sábado). A caminhada tem início marcado para as 10h00 e o percurso será da Antiga Lota de Portimão até à Marina. As inscrições têm o valor de 2,5€ para o público em geral e 1,5€ para formandos Dual. O valor angariado nas inscrições reverte para a Associação para o Apoio à Vítima.

Inscrições: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. | 282 484 703

APAV nas Jornadas sobre Violência Doméstica da Ordem dos Advogados

Publicado .

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima marcou presença nas Jornadas sobre Violência Doméstica, no dia 24 de janeiro.

A APAV esteve representada nestas jornadas por Daniel Cotrim, psicológo e responsável na APAV pelas áreas da Violência Doméstica e de Género e da Iguldade. Daniel Cotrim participou na mesa 2, pelas 11.15, com a comunicação "As vítimas de Violência Doméstica: uma visão de proximidade".

As Jornadas sobre Violência Doméstica foram organizadas pelo Conselho Regional de Lisboa da Ordem dos Advogados e tiveram lugar no Auditório Principal da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

APAV integra o CIS com a coordenação da Linha Internet Segura

Publicado .

A partir de janeiro de 2019 a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima passa a integrar o Consórcio Internet Segura (CIS) e os serviços da Linha Internet Segura e da Linha Alerta passam a estar sob coordenação da APAV.

A Linha Internet Segura tem por base o atendimento telefónico e online, com o objetivo de promover uma utilização mais segura da internet, presta apoio a vítimas de cibercrime e aconselhamento na adoção de comportamentos seguros online. A Linha Alerta é uma plataforma de denúncia de conteúdos ilegais online, nomeadamente conteúdos de abuso sexual de menores, apologia à violência e apologia ao racismo/xenofobia. Mais informações: linhaalerta.internetsegura.pt

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima é uma instituição particular de solidariedade social de âmbito nacional que tem por missão promover e contribuir para a informação, proteção e apoio aos cidadãos vítimas de crime. Os serviços da Linha Internet Segura e da Linha Alerta passam a ser apoios específicos do Sistema Integrado de Apoio à Distância (SIAD) da APAV e esta integração assegura ainda uma resposta articulada com os serviços de proximidade da APAV.

A Linha Internet Segura está disponível através do número 800 21 90 90 (dias úteis entre as 9h e as 21h) ou do email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. O apoio é confidencial e gratuito.

Navegue em Segurança!

www.internetsegura.pt
linhaalerta.internetsegura.pt