• banner CARE 404x132 v2

APAV no seminário evocativo dos 70 anos da DUDH organizado pela PSP

Publicado .

Seminario DH PSP

Em parceria com o Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna (ISCPSI), a Polícia de Segurança Pública (PSP) realiza, ao longo do dia 5 de dezembro, um seminário evocativo das comemoração dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos e dos 40 anos da adesão de Portugal à Convenção Europeia dos Direitos Humanos.

A APAV estará representada neste seminário pelo seu presidente, João Lázaro, cuja intervenção se centrará nas temáticas relacionadas com as vítimas de crime e com a evolução das relações entre a APAV e a PSP. A comunicação integrará o grupo de intervenções sobre "Grupos especialmente vulneráveis" do Painel II do seminário ("Evolução das Relações de Parceria com a PSP").

Com este seminário evocativo, a PSP propõe "promover um momento de reflexão sobre a evolução da promoção da segurança em Portugal num trabalho de parceria, do respeito pelos direitos humanos, e dos desafios que se colocarão no futuro", respondendo aos seus deveres, enquanto instituição, de "defender a legalidade democrática, garantir a segurança interna e os direitos dos cidadãos”.

Diário de Notícias | "Fake news: sites portugueses com mais de dois milhões de seguidores"

Publicado .

"O negócio é rentável. A audiência dos sites de desinformação permite um retorno de milhares de euros pagos pela publicidade do Google. Só no Facebook, mais de dois milhões seguem estas páginas portuguesas.

A mentira começa no título. Um dos mais bem-sucedidos sites de desinformação em Portugal chama-se Bombeiros 24. Mas não tem nada que ver com bombeiros. Quem pesquisa este nome no Google encontra um anúncio a um serviço falso: "Bombeiros 24 horas". Se carregar no link, em vez de uma linha SOS, ou de um contacto, encontra apenas um site. E de desinformação.

No último mês, esta página conseguiu ter mais de 939 mil partilhas dos seus textos no Facebook. Nessa rede social, a página tem um nome ainda mais enganador: Bombeiros Portugueses. Tem quase 300 mil seguidores. Gente real, educada, preocupada. Mas o conteúdo não deixa muitas dúvidas sobre o que faz na realidade: desinformação. No dia 4 de novembro uma "notícia" do site citava o coordenador do Observatório da Emigração, Rui Pena Pires, dizendo que Portugal precisa de imigrantes. No Facebook, os administradores do site mostram o que pensam sobre o tema: "Afirmações um tanto ou quanto ridículas. Talvez se dessem valor ao trabalho dos portugueses houvesse mais gente disposta a trabalhar em certas áreas." (...)

Segundo dados do sistema de análise usado pela redação do DN para avaliar a sua audiência em redes sociais, na última semana, dois dos três artigos escritos em Portugal com mais partilhas no Facebook foram feitos por páginas de desinformação. (...)

Como é comum no mundo inteiro, este tipo de sites quer ainda criar um modelo de político. "Bolsonaro: O mundo está a mudar...as pessoas estão cansadas de falinhas mansas!" (Semanarioextra). "Putin: Quem não queria um destes?" (Tafeio.com.pt). Enquanto elogiam um político "especial", estes sites mostram que há razões para que os cidadãos portugueses sejam desconfiados. "Até hoje, nenhum chinês morreu em Portugal. Não há nenhum registo! Estranho...", escreve a página Diariopt. A mentira é tão óbvia que torna o êxito do tema difícil de entender: Teve 21,3 mil partilhas no Facebook, no último mês. (...)

Outro tema recorrente é o da xenofobia. O Lusopt escreve que a "Câmara de Lisboa despeja pessoas para construir mesquita" e, um pouco adiante, acrescenta uma outra história, com o mesmo pano de fundo, em que "nove freiras ficam grávidas num mosteiro que abriga refugiados". Esta é a narrativa que circula rapidamente pelas redes sociais. A forma organizada como se propaga, hoje, tem todas as condições para se tornar relevante no próximo ano (com eleições europeias e legislativas). Aí, tal como já aconteceu em vários países (EUA, Brasil, Itália, Suécia, para falar apenas nos exemplos mais recentes), o papel da desinformação pode ser decisivo.

Por princípio, não há muitos eleitores dispostos a aceitar opiniões ou factos falsos ditos por alguém que surja no meio da rua de cara tapada e voz distorcida. Mas há milhões de portugueses (pelo menos metade dos eleitores habituais) que aceitam ler e até reproduzir o que dizem estes sites anónimos."

Fonte: Diário de Notícias

Conferência “Direitos Humanos e Controlo Externo das Forças e Serviços de Segurança do Ministério da Administração Interna”

Publicado .

No dia 14 de novembro o Arquivo Nacional da Torre do Tombo, em Lisboa, acolhe uma Conferência subordinada ao tema “Direitos Humanos e Controlo Externo das Forças e Serviços de Segurança do Ministério da Administração Interna”.

A conferência é promovida pela Inspeção-Geral da Administração Interna no âmbito dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, 40 anos da Adesão de Portugal à Convenção Europeia dos Direitos Humanos.

Programa

V Jornadas APAV Açores Contra a Violência | 15 Novembro

Publicado .

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima promove no dia 15 de Novembro de 2018 as V Jornadas APAV Açores contra a Violência, em Lagoa. O evento terá lugar no Cine Teatro Lagoense.

Após quatro edições em Ponta Delgada, pela primeira vez Lagoa será palco de discussão e reflexão partilhadas com os vários parceiros sobre temáticas no âmbito do apoio a vítimas de crime e a prevenção da vitimação e da violência.

No evento, que irá reunir diversos especialistas, serão abordadas três áreas principais: Violência Filioparental; Apoio Online a Vítimas de Crime; e Violência contra Pessoas com Deficiência Intelectual e/ou Multideficiência.

Valor da inscrição: 5€

Inscrições, programa e informações:
apav.pt/jornadas

Bloco de Esquerda visita a sede da APAV

Publicado .

BE 13 BE 1

Representantes do grupo parlamentar do Bloco de Esquerda visitaram a sede da APAV, em Lisboa, no dia 24 de outubro.

Catarina Martins, coordenadora nacional do Bloco de Esquerda (BE) e deputada à Assembleia da República (AR), esteve acompanhada por Sandra Cunha e Maria Luísa Cabral, também deputadas, e por membros da distrital de Lisboa do BE.

A visita de membros do grupo parlamentar do BE teve em vista a auscultação da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, no âmbito da intenção do partido de apresentar à AR um pacote de medidas legislativas que visam a violência doméstica e sexual.

No conjunto de propostas de lei do BE incluem-se a criação de tribunais especializados, a alteração da moldura penal para crimes de violência doméstica e sexual e a possibilidade de aplicação da prisão preventiva para casos de violência doméstica.

BE 11