Informação para Profissionais de Saúde

 

Os profissionais de saúde estão, por força da sua atividade, na primeira linha de deteção das situações de violência contra pessoas idosas.

 

A violência contra as pessoas idosas pode manifestar-se de diversas formas:

  • Física;
  • Económica;
  • Psicológica;
  • Negligência;
  • Sexual;
  • Abandono.

Todos os profissionais de saúde têm o dever de estarem atentos a estas situações.

Os profissionais de saúde têm a obrigação de apoiar e encaminhar devidamente as pessoas idosas vítimas de violência, sempre que tenham conhecimento destes casos.

 

A existência de violência contra as pessoas idosas pode ser detetada através do discurso espontâneo da própria pessoa idosa. No entanto, em grande parte das situações deve o profissional de saúde procurar sistemáticamente sinais de violência através de:

  • Recolha da história junto da pessoa idosa e acompanhantes;
  • Observação direta da pessoa idosa;
  • Interpretação dos outros sinais de alerta.

Na recolha de história, o profissional de saúde deve ter o cuidado de respeitar a privacidade da pessoa idosa, sem prejuízo de fazer uma investigação tão completa quanto possível.

Sempre que o profissional de saúde considere que os factos ultrapassam as suas competências deve pedir apoio a outros profissionais.

iStock 000034374450Small 10

Na recolha da história junto do doente e acompanhantes, o profissional de saúde deverá estar especialmente atento aos idosos e famílias com situações que propiciem a ocorrência de violência, designadamente

  • Conflituosidade social;
  • Desemprego;
  • Situação financeira;
  • Situação de dependência;
  • Exclusão Social;
  • Situação de adição (alcoolismo, droga, etc);
  • Doença mental e quadros demenciais.

E ainda, história familiar de violência, vitima isolada e acontecimentos stressantes recentes. Deverá ser sempre colhida a história social e sexual.

Nestas situações, as questões éticas e de proteção da dignidade da pessoa idosa assumem particular relevância, no respeito pela pessoa e sua privacidade. Observação direta do doente.

 

Os profissionais habilitados para realizar o exame físico da pessoa idosa deverão procurar:

  • Sinais de desnutrição e ou desidratação;
  • Lesões cutâneas resultantes de falta de cuidados de higiene ou de agressão;
  • Sinais de fraturas e lesões a nível do sistema génito-urinário;

Deverá ser feito exame neurológico e avaliação cognitiva. O(s) acompanhante(s) deverá(ão) ser inquiridos sobre a gestão do regime terapêutico.

 

Outros sinais de alerta:

  • Agitação;
  • Depressão;
  • Apatia;
  • Mutismo;
  • Evitamento do contacto;
  • Medo;
  • Tristeza.

Estas situações deverão ser esclarecidas com a pessoa idosa e o seu acompanhante, já que poderão ser indícios de violência.

Copyright © 2014 APAV