Apoiar um/a amigo/a ou familiar vítima de violência e de crime

 

A ajuda inicial de um/a amigo/a ou de um familiar pode ser crucial para que a pessoa idosa fale e peça ajuda para tentar sair da situação de violência em que vive e com que tem de lidar sozinha. O silêncio facilita a existência e a continuação da violência. O papel do/a amigo/a ou do familiar pode ser o início do fim da violência.

Se desconfiar que algo de errado se passa com aquela pessoa idosa:

  • Tente aproximar-se dela e converse com cuidado. Diga-lhente que acredita nela. Diga-lhe qe expressamue pode confiar em si.
  • Se existir confidência de violência, diga-lhe que a culpa não é dela. Diga-lhe que vai fazer tudo para a apoiar. Faça realmente tudo o que puder para a apoiar.
  • Comunique a situação às autoridades policiais ou aos serviços do Ministério Público junto de um Tribunal.
  • Comunique também aos serviços de Saúde e aos da Segurança Social;
  • Ajude a pessoa idosa a contactar a APAV para iniciar um processo de apoio jurídico, psicológico e social.
  • Seja muito discreto/a e aja sempre com prudência.
  • Não exponha a vida da pessoa à curiosidade alheia.
  • Demonstre sempre a máxima serenidade e atenção.
  • Respeite a sua liberdade e as suas decisões, reforçando a confiança na capacidade de gerir a sua própria vida.

Qualquer pessoa, desde que tenha conhecimento de uma situação de violência ou de crime perante uma pessoa idosa, pode denunciar junto das entidades competentes.

elderly women hands

Se tem conhecimento de que uma pessoa idosa amiga ou até mesmo um familiar está a ser vítima de violência e de crime ajude-o/a a procurar apoio, através da Rede Nacional de Gabinetes de Apoio à Vítima da APAV ou This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.. Não deverá, no entanto:

  • Dizer à pessoa idosa o que fazer: nunca se esqueça que a decisão é sempre da vítima;
  • Dizer-lhe que ficará desapontada se não fizer o que lhe disse para fazer;
  • Fazer comentários que possa culpabilizar a pessoa idosa por ser vítima;
  • Confrontar o alegado agressor porque pode ser perigoso para si e também para a pessoa idosa.

Ajudar como amigo/a ou familiar uma pessoa idosa vítima de violência não significa ter de resolver pelos próprios meios a situação ou salvar a vítima.

Copyright © 2014 APAV