Linha de Apoio à Vítima | 116 006 | HORÁRIO ALARGADO

Publicado .

Desde a sua génese, uma das preocupações centrais da APAV tem sido a adaptação dos seus serviços às necessidades das vítimas de crime, seus familiares e amig@s. Estas preocupações concretizam-se sob a forma de apostas na confidencialidade e qualidade dos serviços de apoio.

No caso do Sistema Integrado de Apoio à Distância (SIAD) / Linha de Apoio à Vítima (LAV) e Linha Internet Segura (LIS), a adaptação mais recente, com vista à melhoria da qualidade dos serviços prestados, é o alargamento do horário de funcionamento dos serviços telefónicos.

Desta forma, a Linha de Apoio à Vítima | 116 006 e a Linha Internet Segura | 800 219 090 passam a funcionar todos os dias úteis das 08h00 às 22h00.

APAV disponibiliza relatório e brochura Provítimas: O Ministério Público e os direitos das vítimas de crime

Publicado .

Com a edição da Diretiva 2012/29/UE, os direitos das vítimas de crime passaram a ser objeto de maior tutela. Todavia, para que tais sejam efetivados, não basta a mera edição de texto legal, é preciso compreender o sistema de proteção em sua totalidade para traçar melhores soluções. Com isso em mente, e considerando a crescente preocupação da União Europeia com a implementação integral do texto da Diretiva, desenvolveu-se o projeto Provítimas, cujo objetivo principal foi desmistificar os papéis que desempenham os atores do processo penal para a garantia da proteção dos direitos das vítimas.

No âmbito deste Projeto foi possível desenvolver o Relatório de Vítimas Provítimas: O papel do Ministério Público na promoção dos direitos das vítimas e a Brochura: O Ministério Público e as Vítimas de Crime – 10 perguntas e respostas.

No curso da investigação desenvolvida no Relatório acima mencionado, constatou-se que a eficácia dos direitos das vítimas depende de um delicado equilíbrio entre a representação do Estado e seus interesses bem como os direitos e garantias fundamentais do arguido, resultado que nem sempre é facilmente alcançado. Os serviços de apoio às vítimas exercem assim um papel essencial nessa articulação, pois asseguram o comprometimento com seus direitos bem como garantem troca de sinergias entre os demais agentes dos serviços de ação penal.

Com autoria de Catarina Abegão Alves e Sónia Moreira Reis, e com o apoio de João Gouveia de Caires, este relatório é um contributo ímpar em termos de pesquisa académica, e traça, a nível de conclusão, recomendações fundamentais e práticas que podem ajudar na construção de um melhor sistema de proteção direcionado às vítimas de crime.

A brochura "O Ministério Público e as Vítimas de Crime – 10 perguntas e respostas" destaca o papel crucial que os procuradores desempenham para tornar os direitos efetivos e acessíveis às vítimas de crime.

O Projeto Provítimas resulta da colaboração entre a promotora, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima – APAV, e as instituições parceiras de quatro países europeus, incluindo a Irish Council for Civil Liberties (Irlanda), a IRSE-EBI – Associación Instituto de Reintegración Social de Euskadi (Espanha), a Procuradoria Geral da República – PGR, a Organização de Auxílio e Apoio ás Vítimas White Circle da Croácia (Croácia) e uma instituição de investigação, o Centro de Investigação de Direito Penal e Ciências Criminais da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa – CIDPCC – FDULisboa (Portugal).

Estes documentos foram desenvolvidos como parte integrante do Projeto Provítimas, co-financiado Programa de Justiça da União Europeia (2014-2020).

Relatório Provítimas - O Papel do Ministério Público na Promoção dos Direitos das Vítimas

Brochura: O Ministério Público e as Vítimas de Crime – 10 perguntas e respostas

Procuramos Estagiário/a | Estágio profissional de Contabilidade

Publicado .

PROCURAMOS EPCIBTG6yrtfgh 038971

1. Função:
Estágio profissional remunerado de Contabilidade na Unidade Contabilístico-Financeira da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima - Lisboa.

2. Responsabilidades:
- Preparação, verificação e tratamento de documentação administrativa, financeira e de controlo inerente ao funcionamento transversal de toda a organização;
- Preparação, verificação e tratamento de documentação administrativa, financeira e de controlo no âmbito de projeto (timesheets, boletins de deslocação, relatório de projeto, entre outros);
- Organização e apoio à realização de eventos.

3. Requisitos Mínimos e Competências:
- Cumprimento dos requisitos para Estágio ATIVAR.PT;
- Licenciatura finalizada nas áreas de contabilidade/fiscalidade;
- Concordância com os valores e princípios da APAV;
- Facilidade de relacionamento interpessoal, proactividade e iniciativa;
- Capacidade de trabalho em equipa;
- Inglês escrito e oral;
- Conhecimentos informáticos na óptica do utilizador;
- Competências de organização: capacidade de priorizar tarefas e definir passos para a sua concretização;
- Sensibilidade ao problema - capacidade de saber quando algo está errado ou com probabilidade de conduzir a um erro. Não envolve resolver o problema, apenas reconhecer que há um problema;
- Clareza de comunicação - a capacidade de falar com clareza para que outras pessoas possam entendê-lo.

4. Condições e Localização
- Estágio Profissional Remunerado de 9 meses;
- Integração numa organização com uma política de recursos humanos com forte aposta no desenvolvimento pessoal e profissional.
- Localização: Sede da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, na Rua José Estêvão,135-A, em Lisboa.

5. Processo de Candidatura
Enviar e-mail para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. até 23 de abril com:
- Carta de motivação (1 pág., máximo);
- C.V. detalhado, que descreva a experiência académica e profissional.

6. Processo de Selecção:
1.ª fase: Análise curricular.
Em caso de aprovação e passagem à 2.ª fase: entrevista presencial.

A APAV é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, que se rege pelos princípios da igualdade e diversidade e onde as pessoas são selecionadas com base nas suas competências e mérito.

Prémio APAV para a Investigação 2021: candidaturas abertas

Publicado .

Estão abertas as candidaturas para o Prémio APAV para a Investigação 2021!

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima promove em 2021 a sétima edição do Prémio APAV para a Investigação, com o apoio da Fundação Montepio.

O Prémio APAV para a Investigação destina-se a premiar trabalhos de investigação científica sobre temas ou problemas relacionados com a missão da APAV: Apoiar as vítimas de crime, suas famílias e amigos/as, prestando-lhes serviços de qualidade, gratuitos e confidenciais e contribuir para o aperfeiçoamento das políticas públicas, sociais e privadas centradas no estatuto da vítima.

Condições gerais do Prémio APAV para a Investigação 2021:
- O Prémio APAV para a Investigação será atribuído anualmente pela APAV a um trabalho inédito, desenvolvido em língua portuguesa.
- O Prémio APAV para a Investigação será atribuído a um trabalho que contribua para o conhecimento geral ou específico dos temas ou problemas relacionados com as vítimas de crime, ou para a melhoria de qualidade dos serviços de apoio à vítima em Portugal.
- O Prémio APAV para a Investigação será atribuído a um trabalho desenvolvido em áreas científicas diversas, tais como Direito, Psicologia, Serviço Social, Sociologia, História, Economia, Saúde, Antropologia, Criminologia, Vitimologia, Pedagogia, etc.

Formulário de Candidatura

Regulamento

Prazo limite para envio de candidaturas: 31 de julho.

Informações e candidaturas:
apav.pt/premioinvestigacao

Abril | Mês de Prevenção dos Maus-Tratos na Infância

Publicado .

 

Em Abril assinala-se o Mês de Prevenção dos Maus-Tratos na Infância. Qualquer criança ou jovem pode ser alvo de violência, seja ela física, psicológica ou sexual, presencialmente ou em contexto online, independentemente da sua idade, sexo ou estatuto socioeconómico. No entanto, não tem de ser “para sempre”. Todos nós podemos e devemos ajudar a parar este flagelo.

Se conhecerem uma criança ou jovem vítima de violência, escutem-na, e sobretudo peçam ajuda. Digam-lhe que há alguém que a pode ajudar e que estarão sempre do seu lado. Se és uma criança ou jovem vítima de maus-tratos, não hesites: pede ajuda a alguma pessoa adulta da tua confiança.

Em Abril, e sempre, todos e todas temos o dever de proteger as crianças e jovens e de prevenir qualquer forma de violência. Somos todos e todas agentes muito importantes na segurança de todos os elementos da nossa comunidade!