Informação

Publicado .

Continuamos disponíveis através do Apoio à Distância:

Linha de Apoio à Vítima  |  116 006 

Outros contactos da APAV: bit.ly/ContactosAPAV

 

O ATENDIMENTO PRESENCIAL DEPENDE DE MARCAÇÃO PRÉVIA, APÓS AVALIAÇÃO DA SUA NECESSIDADE. 

Barómetro APAV/Intercampus: Perceção da População sobre Criminalidade e Segurança

Publicado .

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima apresenta o Barómetro APAV/INTERCAMPUS sobre a “Perceção da População sobre Cibercriminalidade e Segurança”. O estudo teve como principais objetivos aferir a perceção sobre criminalidade e sentimento de segurança, bem como a experiência pessoal em diversas situações de criminalidade. A recolha de dados foi realizada com base num questionário elaborado pela APAV e a informação foi recolhida através de entrevistas online, junto de um painel de 590 internautas, no período entre 2 e 20 de novembro de 2020.

Destacamos algumas conclusões:

- 34% dos inquiridos experienciou alguma situações de burla;

- Entre 12% e 18% das pessoas inquiridas foram alvos de burlas online, como phishing, através de SMS, smishing, para pagamento urgente de alegada dívida ou em plataformas de compras online. A maioria, apesar de ter sido abordada, não acedeu à solicitação;

- 18% dos inquiridos teve alguma experiência pessoal nos últimos 12 meses, com furtos ou roubos fora de casa;

- 45% das situações de furto ou roubo fora de casa aconteceu em veículo automóvel particular;

- 45% das situações de furto ou roubo fora de casa aconteceu em transporte público;

- 17% dos inquiridos teve alguma experiência pessoal nos últimos 12 meses, com furto ou roubo em casa;

- 42% das situações implicou a destruição de uma porta, janela ou similar;

- Menos de metade dos inquiridos formalizou denúncia ou queixa junto de uma entidade policial (PSP, GNR, PJ, SEF) ou do Ministério Público.

 

Consulte aqui o documento completo:
Barómetro APAV/INTERCAMPUS: Perceção da População sobre Cibercriminalidade e Segurança

Posição da APAV sobre a Diretiva n.º 1/2021 da Procuradoria-Geral da República

Publicado .

logo

A APAV vem pronunciar-se publicamente sobre a Diretiva n.º 1/2021 da Procuradoria-Geral da República, recentemente emitida e que contém um conjunto de instruções destinadas à prossecução, pelo Ministério Público, dos objetivos, prioridades e orientações de política criminal definidas para o biénio 2020/2022 pela Lei n.º 55/2020, de 27 de Agosto. Centra-se a posição da APAV nos aspetos relacionados com a informação, proteção e apoio às vítimas de crimes, saudando-se a inclusão de um elenco de orientações em matérias tão relevantes como o encaminhamento para serviços de apoio, o direito ao acompanhamento por Técnico de Apoio à Vítima e a proteção, entre outros. Carecendo um ou outro aspeto de abordagem ou de uma maior concretização, considera-se constituir esta Diretiva mais um passo na direção de uma efetiva promoção dos direitos e interesses das vítimas de crimes, tanto mais que vincula quer os/as magistrados/as do Ministério Público quer os órgãos de polícia criminal que coadjuvam aqueles/as na investigação criminal.

 

Diretiva n.º 1/2021 da Procuradoria-Geral da República: diretivas e instruções genéricas para execução da lei da política criminal para o biénio 2020/2022 

Posição da APAV sobre a Diretiva n.º 1/2021 da Procuradoria-Geral da República: diretivas e instruções genéricas para execução da lei da política criminal para o biénio 2020/2022 

Apresentação do Projeto Infovítimas Inclusivo | 28 Janeiro

Publicado .

Infovitimas inclusivo

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima promove o evento de apresentação do Projeto Infovítimas Inclusivo, no dia 28 de janeiro, pelas 11h00.

Este será um momento para a partilha dos resultados do Projeto que permite que pessoas com deficiência visual e auditiva, vítimas de crime, tenham acesso a informação e ferramentas necessárias para agir em caso de violência ou crime, promovendo, desta forma, a sua autonomia e capacitação.

O evento, que será transmitido no Youtube e Facebook da APAV, destina-se a Magistrados e Magistradas do Ministério Público, Juízes e Juízas, outros operadores judiciais, agentes das Forças de Segurança, representantes de organizações da sociedade civil, membros da Academia, e ao público.

Junte-se a nós e aproveite a oportunidade de conhecer um Projeto inovador em Portugal que salvaguardará a proteção das pessoas com deficiência visual e auditiva, vítimas de crime, reduzindo os efeitos negativos e as consequências da experiência de vitimação.

Para mais informação:
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

30 Anos APAV | Livro comemorativo "À Roda de uma Vontade"

Publicado .

«Trinta anos pelos direitos das vítimas. Trinta anos de memória e futuro.»

Violência doméstica, cibercrime, assédio, crimes de ódio. No ano em que celebra 30 anos de existência, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima reúne em livro 15 contos e 15 ilustrações originais que têm como ponto de partida crimes que frequentemente lhe chegam pela voz das vítimas apoiadas. O livro À Roda de uma Vontade chegou às livrarias no dia 13 de novembro.

O ano de 2020, momento em que a APAV assinala 30 anos de existência, ficará para sempre na memória de todos e todas nós. Foi o ano que relembrou, a quem eventualmente tivesse esquecido, da importância da arte e da transcendência, não só na vida individual como na vida das sociedades.

A importância do trabalho dos/das artistas tornou-se mais evidente no quotidiano e na construção da sociedade que queremos. A pandemia e o isolamento tornaram mais claro o estatuto da arte enquanto necessidade e possibilidade de evasão da realidade — e, assim, da experiência artística enquanto potência para a construção de novos senti- dos, de novas possibilidades para a vida concreta.

Neste livro, a APAV convidou 15 personalidades de várias áreas a escrever uma história. A par dos contos, destacam-se 15 trabalhos originais de ilustradores e ilustradoras.

Para este projeto a APAV conta com o apoio da Quetzal Editores, que dá o seu contributo a esta causa, inscrevendo o seu trabalho na defesa dos valores de cidadania e igualdade, em geral, e na ideia de uma sociedade mais justa e menos violenta, em particular.

Participam neste livro com os seus textos e ilustrações:

Julieta Monginho | Nádia Neves | Isabel Ventura | Tiago de Albuquerque | Mariana Alvim | Alex Gozblau | Carlos Pinto de Abreu | Xavier Almeida | Manuel António Ferreira Antunes | Mantraste | Edson Athayde | Cinara Saiónára | Raquel Ribeiro | Drika Prates | Luís Filipe Borges | Anabela Canas | Diogo Batáguas | André Letria | Lúcia Lourenço Gonçalves | Júlio Dolbeth | Nuno Amaral Jorge | Ana Beatriz Marques | Ana Paula Figueira | Tiago Dinis | Aline Frazão | Ana Biscaia | Filipa Leal | Clara Não | Inês Amado da Silva | Susa Monteiro

O livro já está disponível nas livrarias físicas e online. Já é possível comprar o livro nas Livrarias Bertrand, FNAC, Almedina, Wook e outros. Disponível também no site Quetzal.