banner irs2020 top

Destaque do Instituto Nacional de Estatística - Conta Satélite da Economia Social | Resultados Preliminares | 2010

Publicado .

O Instituto Nacional de Estatística (INE) lança em destaque os resultados preliminares da Conta Satélite de Economia Social referente a 2010.

A Economia Social integra entidades privadas organizadas formalmente, com autonomia de decisão e liberdade de adesão, que produzem serviços não mercantis para as famílias e cujos excedentes, quando existem, não podem ser apropriados pelos agentes económicos que os criam, controlam ou financiam. Este sector é caracterizado por uma forte heterogeneidade, estando presente em múltiplas áreas de atividade.

Os principais resultados revelam que a Economia Social representava, em 2010, 2,8% do Valor Acrescentado Bruto (VAB) nacional, 4,6% das remunerações, 5.5% do emprego remunerado e 4,7% do emprego total.

Das várias áreas de actividade, destacam-se os serviços de acção e solidariedade social que eram, em 2010, a principal actividade económica gerando 41,4% do VAB da Economia Social e concentravam 34,3% do Emprego.

Destaque | Instituto Nacional de Estatística

Conferência do Victim Support Europe em Edimburgo

Publicado .

Decorreu em Edimburgo, nos dias 30 e 31 de Maio, a conferência anual do Victim Support Europe em co–organização com o Victim Support Scotland, dedicada ao tema Supporting Victims of Crime in Europe e com o apoio da Direção Geral da Justiça da Comissão Europeia. A conferência contou com um vasto painel de oradores de diversos países europeus e dos Estados Unidos e com a presença da Princesa Real Ana, tendo reunido mais de 150 participantes de cerca de 28 países da Europa. Foram dois dias de intenso trabalho e de troca de conhecimento, de experiências e de reflexão sobre o atual momento no apoio à vítima de crime na Europa.

A APAV, a convite do Victim Support Europe, apresentou duas comunicações em plenário por João Lázaro, na qualidade de presidente da APAV e de vice presidente do Victim Support Europe (Victim Support Leaders' perspective e Next Steps in Progressing Victims' Rights), e quatro apresentações em worshops (Right to Information, por Frederico Moyano Marques; Support to victims of trafficking – the portuguese experience, por Juliana Moya; Anti-bullying project e Young Victims, por Carmen Rasquete).

A conferência foi um sucesso, tendo a delegação da APAV participado ativamente na troca de experiência, networking e contatos.

Programa: http://www.vseconference.org/programme

Comunicação


Fotos: Victim Support Europe

Relatório UNICEF sobre Mutilação Genital Feminina

Publicado .

A maioria das pessoas nos países nos quais se concentra a prática da mutilação genital feminina/corte (MGF/C) é contra esta prática, de acordo com um novo relatório da UNICEF publicado.

Apesar dessa oposição, mais de 125 milhões de raparigas e mulheres, que vivem atualmente no mundo, foram submetidasà  MGF/C e cerca de 30 milhões de raparigas continuam em risco de virem a ser mutiladas no decurso da próxima década.

O relatório Mutilação Sexual Feminina/Corte: Uma estatística global e exploração da dinâmica de mudança é a mais abrangente compilação de dados e análises sobre este assunto feita até à data.

Inquéritos realizados nos 29 países de África e Médio Oriente nos quais a MGF/C continua a ser praticada, revelam que a probabilidade de as raparigas serem mutiladas é menor do que há 30 anos atrás e que o número dos que a apoiam estão em decréscimo, mesmo nos países em que a MGF/C continua a ser quase universal, como é o caso do Egipto e do Sudão.

No que toca a tendências, o relatório salienta que em mais de metade dos 29 países onde a MGF/C se concentra, as raparigas têm menos probabilidade de serem mutiladas do que as suas mães.

Embora a MGF/C tenha sido praticamente abandonada por certos grupos e países, continua muito enraízada noutros, apesar dos perigos que representa para a saúde das raparigas, mesmo nos casos em existe legislação e os governos e ONG se esforçam para convencer as comunidades a acabar com a prática.

Fonte: www.unicef.pt

Relatório [inglês]

Campanha “Depois do Não, Pára!” na Queima das Fitas 2013

Publicado .

A APAV, através do Projecto Unisexo – prevenção da violência sexual no ensino superior, volta às ruas de Coimbra durante a Queima das Fitas 2013, com a campanha “Depois do não, pára!”

A campanha, que avança agora para uma segunda fase, será divulgada através de diversos meios: spots TV, spot rádio (que será divulgado com o apoio da RUC), materiais nas cantinas dos Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra (SASUC) e dos Serviços de Acção Social do Instituto Politécnico de Coimbra (SAS-IPC), e ainda num painel presente num autocarro dos SMTUC.

Voluntários e técnicos da APAV sairão à rua durante as noites da Queima das Fitas, entre 3 e 9 de Maio, para disseminar informação preventiva sobre a violência sexual junto dos estudantes do ensino superior, contando com o apoio da Comissão da Queima das Fitas 2013.

A APAV tem como missão apoiar as vítimas de crime, suas famílias e amigos, prestando serviços de qualidade, gratuitos e confidenciais e contribuir para o aperfeiçoamento das políticas públicas, sociais e privadas centradas no estatuto da vítimas.

Através de uma abordagem informativa e educativa, nomeadamente com a campanha do Projecto Unisexo, a APAV pretende facilitar o recurso das potenciais vítimas de crimes sexuais aos serviços de ajuda, reforçar a empatia da comunidade para com as vítimas de crimes sexuais, e prevenir comportamentos de risco.

O Projecto Unisexo conta com as parcerias do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e do Instituto Nacional de Medicina Legal. Tem protocolos de colaboração com a Associação Académica de Coimbra e com a Associação de Estudantes da Escola Superior de Educação de Coimbra.

A campanha foi desenvolvida pela agência GREY, numa parceria mecenática com a APAV, contando ainda com o apoio da .Cru para a produção dos spots vídeo e da Secção de Fado da Associação Académica de Coimbra (Estudantina Universitária de Coimbra) para o spot rádio.

APAV reunida com Eurodeputadas da Comissão dos Direitos da Mulher e Igualdade dos Géneros

Publicado .

No passado dia 2 de Maio, quinta-feira, a APAV reuniu com a Delegação de Eurodeputadas da Comissão dos Direitos da Mulher e Igualdade dos Géneros do Parlamento Europeu (FEMM).

A delegação, que contou ainda com deputadas portuguesas como interlocutoras, promoveu encontros com organizações não-governamentais portuguesas com o objectivo de recolher informação sobre a "face feminina da crise em Portugal".

A APAV esteve representada nesta reunião por Carmen Rasquete, Secretária-Geral, que apresentou o trabalho da Associação enquanto organização nacional de apoio às vítimas de crime, com ênfase no perfil das mulheres vítimas de crime e de violência e seu contexto de vitimação.