banner irs2020 top

Cartão Montepio +Vida apoia a APAV

Publicado .

Ao usar este cartão está a ajudar quem mais precisa.

Com o Cartão de Crédito Montepio +Vida, pode ajudar os que mais precisam, sem quaisquer encargos para si. Cada vez que utilizar o seu Cartão +Vida está a contribuir para Instituições de Solidariedade Social, escolhidas por si. Aproveite todas as vantagens associadas a este cartão. Porque quanto mais o usar, mais sorrisos vai criar.

Este cartão funciona como um normal Cartão de Crédito, disponibilizando um crédito sem juros, até 50 dias. Cada vez que utilizar o seu Cartão de Crédito +Vida, está a contribuir para a Instituição de Solidariedade Social, sem dispensar os seus rendimentos, pois é o Montepio que cede parte da sua margem de negócio.

Sempre que usar o seu Cartão +Vida estará a distribuir sorrisos e a apoiar projetos de solidariedade social! A APAV é uma das instituições beneficiárias desta acção solidária.

Para mais informações:  Cartão +Vida | Montepio

Exposição "Olha" de Valter Vinagre | IPDJ Viana do Castelo

Publicado .

A APAV, em colaboração com o IPDJ - Instituto Português do Desporto e Juventude I.P., promove a exposição de fotografia “Olha” no IPDJ Viana do Castelo. Esta exposição reúne um conjunto de trabalhos do fotógrafo Valter Vinagre, sendo o resultado de uma colaboração com a APAV, com o objectivo de retratar o universo das vítimas de crime em Portugal.

"Como fotografar o silêncio? Como fotografar o invisível ou o velado? Desde que há fotografia – melhor seria dizer, desde que há imagem – que o problema se põe. Seja porque o que está em causa são conceitos e não realidades tangíveis, seja porque essas realidades se furtam absolutamente ao olhar da câmara. A violência doméstica, entendida como fenómeno alargado, é um destes casos. É omnipresente em todas as sociedades, mas invisível. É ilegal (é mesmo um crime público) na nossa, mas resistente à sanção social e à lei. O que é novo na modernidade não é a violência, mas, por um lado a natureza dessa violência e, por outro, o modo como a vemos e a enquadramos entre o espaço público e privado. O seu território, o seu capital de impunidade é precisamente esse círculo fechado que constitui a privacidade, que deixa à porta o Estado, as leis, a urbanidade exigível aos comportamentos. (...) Poucos assuntos podiam ser menos atraentes e mais destituídos de glamour e de fotogenia como a vida das pessoas vítimas de violência. O circuito mediático guarda-as normalmente para encarniçar em nós a faceta humanista que todos julgamos ter. A serenidade cúmplice das imagens de Valter Vinagre recusa liminarmente essa parasitagem. No fundo elas dizem uma só coisa de diferentes maneiras. Olha. Compreende o que puderes. Se puderes. E age. Se puderes."
Celso Martins

A exposição estará patente no IPDJ Viana do Castelo de 13 a 24 de Janeiro.

IPDJ - Loja Ponto JA - Viana do Castelo
Rua do Poço, 16/26
Viana do Castelo
Segunda a sexta, das 9h00 às 18h00.

APAV presente na Segunda Reunião da Plataforma da Sociedade Civil contra o Tráfico de Seres Humanos

Publicado .

Nos dias 9 e 10 de Dezembro a APAV esteve representada na segunda reunião da Plataforma da Sociedade Civil contra o Tráfico de Seres Humanos. Esta é uma plataforma de organizações da sociedade civil dos Estados-Membros da União Europeia e ainda de Marrocos, Turquia e Albânia, que é dinamizada pela Comissão Europeia e tem como objetivo facilitar o contacto e promover a realização de atividades conjuntas no âmbito da prevenção e do apoio às vítimas de tráfico de seres humanos.

No âmbito desta sesta segunda, reunião a APAV participou no workshop sobre o apoio a vítimas de tráfico de seres humanos e forneceu informações sobre os serviços de apoio disponibilizados em Portugal, alertando para a necessidade de os Estados-Membros assegurarem que estas vítimas tenham acesso a apoio especializado, independentemente de participarem do processo-crime, conforme determina a legislação europeia a este respeito.

 

Espectáculo: Ary, O Poeta das Canções | Santarém | 22 Fevereiro

Publicado .

Em homenagem a José Carlos Ary dos Santos, Quim Zé Lourenço interpreta as mais emblemáticas canções escritas pelo poeta, num espectáculo cujas receitas revertem a favor da APAV.

No dia 22 de Fevereiro, o Teatro Sá da Bandeira, em Santarém, vai ser palco do espectáculo de homenagem a José Carlos Ary dos Santos, por ocasião dos 30 anos do seu desaparecimento.

Canções históricas como “Desfolhada”, “Tourada”, “Lisboa Menina e Moça” ou “Os Putos”, popularizadas pelas mais célebres vozes portuguesas, serão agora tocadas e cantadas de forma inovadora, sofisticada e contemporânea por Quim Zé Lourenço. São ao todo 18 clássicos da música ligeira portuguesa, rearranjados com recurso a diferentes linguagens, géneros e estéticas musicais.

No trigésimo aniversário da morte daquele que é por muitos lembrado como o poeta maior da música portuguesa, e no quadragésimo aniversário da Revolução de Abril, não deixa de ser digna de nota a actualidade de uma obra cujo início teve lugar há quase cinco décadas. Este especáculo integra a digressão nacional, que tem atravessado o país.

Convidados:
Nanã Sousa Dias, Saxofones e Flauta
Pedro Amendoeira, Guitarra Portuguesa
Catarina Gonçalves, Bailarina (Escola Superior de Dança)

As receitas deste espectáculo revertem a favor da APAV.

Bilhetes à venda no Gabinete de Apoio à Vítima de Santarém da APAV ou no Teatro Sá da Bandeira no dia do espectáculo.

GAV Santarém: 243 356 505 | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

CM Odivelas cria Rede de Intervenção na Violência Doméstica e em Pessoas Vulneráveis

Publicado .

No passado dia 12 de dezembro a Câmara Municipal de Odivelas, assinalou, numa cerimónia que teve lugar nos Paços do Concelho, a criação da Rede de Intervenção na Violência Doméstica e em Pessoas Vulneráveis no Concelho de Odivelas.

Foi assim formalmente criada a rede local integrada, intersectorial e multidisciplinar que visa dar respostas às vítimas de violência doméstica e tráfico de seres humanos com base no padrão de intervenção construído pelo projeto RIIIM. A Presidente da CM Odivelas foi a anfitriã desta cerimónia que juntou diversas entidades, nomeadamente APAV, Ministério Público, Segurança Social, Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Odivelas, Hospital Beatriz Ângelo, PSP, Centro Comunitário e Paroquial da Ramada, Escola Secundária da Ramada e Agrupamentos de Saúde da Pontinha e de Odivelas.

Na ocasião, a Presidente Susana Amador relembrou os números que justificam a criação desta Rede, nomeadamente, “as 33 mulheres que, só este ano, foram assassinadas em Portugal, em contexto de violência doméstica, e ainda as 32 tentativas de homicídio por parte de maridos ou companheiros. Números desumanos, imperativos na criação desta Rede.”

No decorrer da cerimónia, foi ainda lançado o manual de procedimentos para uma intervenção integrada, intersectorial e multidisciplinar no combate à violência doméstica e ao tráfico de seres humanos e todos os presentes tiveram, ainda, a oportunidade de visualizar um spot de sensibilização contra a violência doméstica na comunidade cigana.