• banner CARE 404x132 v2

APAV apresenta nova campanha sobre violência contra pessoas idosas

Publicado .

O envelhecimento da população mundial e muito particularmente das sociedades europeias constitui um dos maiores desafios do século XXI. Reconhecendo que a violência contra as pessoas idosas é uma questão social, de segurança e de saúde pública, considera-se que o combate eficaz deste problema contribui para um futuro mais inclusivo, em que todos sejam respeitados em cada ciclo da vida, nomeadamente no contexto de um envelhecimento ativo e saudável.

O envelhecimento da população mundial e muito particularmente das sociedades europeias constitui um dos maiores desafios do século XXI. Reconhecendo que a violência contra as pessoas idosas é uma questão social, de segurança e de saúde pública, considera-se que o combate eficaz deste problema contribui para um futuro mais inclusivo, em que todos sejam respeitados em cada ciclo da vida, nomeadamente no contexto de um envelhecimento ativo e saudável.

A APAV tem vindo a alertar a sociedade portuguesa para a realidade ainda obscura da violência praticada contra as pessoas idosas. Segundo dados do Eurostat, Portugal será um dos Estados-Membros da União Europeia com maior percentagem de pessoas idosas e menor percentagem de população ativa em 2050. A Organização Mundial de Saúde (OMS) receia que este aumento, associado a uma certa quebra de laços entre as gerações e ao enfraquecimento dos sistemas de proteção social, venha a agravar as situações de violência.

A APAV apoia as pessoas idosas e as suas famílias, prestando-lhes apoio jurídico, psicológico e social; e conta com a colaboração de outras instituições, públicas e privadas; e com os/as vizinhos/as e conhecidos/as das vítimas, cujo papel pode ser muito importante, sobretudo na denúncia das situações de violência.

A consciencialização da população conduziu ao incremento do número de pessoas apoiadas. Contudo, há ainda muitos obstáculos, como as barreiras mentais, a dificuldade de acesso e compreensão da informação, a dependência, a vergonha e a fragilidade persistem aliadas à perceção pouco generalizada do problema.

A APAV apresenta uma nova campanha de sensibilização, com o mote "Olhar para o lado é ser cúmplice deste crime”. A campanha teve desenvolvimento estratégico e criativo da McCann e realização da Grumpy Panda.

A violência sobre pessoas idosas aumentou mais de 30% nos últimos anos.*
Olhar para o lado é ser cúmplice deste crime.

Não desvalorize, ligue 116 006 (dias úteis, das 09h às 21h).


Link para o vídeo: youtube.com/BeFquvQQEVU

* Estatísticas APAV | Pessoas Idosas Vítimas de Crime e de Violência 2013-2016

SP Televisão promove venda solidária

Publicado .

De 5 a 8 de Fevereiro, das 11h às 20h, realiza-se nos estúdios da SP Televisão uma venda solidária de guarda-roupa. A venda das peças utilizadas por Isabel, interpretada por Maria João Abreu, na novela Paixão, reverte na totalidade para a APAV.

SP Televisão
Caminho da Ponte S/N
2735-521 São Marcos - Cacém

Evento Facebook

Encontro em torno do livro O Homem que Escrevia Azulejos, de Álvaro Laborinho Lúcio

Publicado .

Decorreu no dia 17 de janeiro o encontro em torno do livro O Homem que Escrevia Azulejos, romance de Álvaro Laborinho Lúcio. O evento encheu a sala Vista de Lisboa do Museu Nacional do Azulejo, em Lisboa.

A obra O Homem que Escrevia Azulejos foi apresentada por Maria de Belém Roseira (Associada Fundadora da APAV). Os actores Carlos Paulo (Teatro da Comuna) e Natália Luiza (Teatro Meridional) fizeram leituras de alguns capítulos da obra.

Álvaro Laborinho Lúcio é juiz conselheiro jubilado do Supremo Tribunal de Justiça. De Janeiro de 1990 a Abril de 1996 exerceu, sucessivamente, as funções de secretário de Estado da Administração Judiciária, ministro da Justiça e deputado à Assembleia da República. É também Associado Fundador da APAV.

A APAV agradece à Quetzal Editores e ao Museu Nacional do Azulejo o apoio na organização deste encontro.

APAV integra o CIS com a coordenação da Linha Internet Segura

Publicado .

A partir de janeiro de 2019 a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima passa a integrar o Consórcio Internet Segura (CIS) e os serviços da Linha Internet Segura e da Linha Alerta passam a estar sob coordenação da APAV.

A Linha Internet Segura tem por base o atendimento telefónico e online, com o objetivo de promover uma utilização mais segura da internet, presta apoio a vítimas de cibercrime e aconselhamento na adoção de comportamentos seguros online. A Linha Alerta é uma plataforma de denúncia de conteúdos ilegais online, nomeadamente conteúdos de abuso sexual de menores, apologia à violência e apologia ao racismo/xenofobia. Mais informações: linhaalerta.internetsegura.pt

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima é uma instituição particular de solidariedade social de âmbito nacional que tem por missão promover e contribuir para a informação, proteção e apoio aos cidadãos vítimas de crime. Os serviços da Linha Internet Segura e da Linha Alerta passam a ser apoios específicos do Sistema Integrado de Apoio à Distância (SIAD) da APAV e esta integração assegura ainda uma resposta articulada com os serviços de proximidade da APAV.

A Linha Internet Segura está disponível através do número 800 21 90 90 (dias úteis entre as 9h e as 21h) ou do email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. O apoio é confidencial e gratuito.

Navegue em Segurança!

www.internetsegura.pt
linhaalerta.internetsegura.pt

Campanha #RespectBattles distinguida com Prémio Arco-Íris da ILGA Portugal

Publicado .

A campanha #RespectBattles "Combate o ódio com respeito", promovida pela APAV, foi distinguida com o Prémio Arco-Íris 2018 da ILGA Portugal. Desenvolvida criativamente pela agência Carmen (Young Network), a campanha conta com a participação de cinco rappers portugueses: Malabá, Ace, M7, Papillon e Estraca.

A campanha foi desenvolvida no âmbito do projeto Ódio Nunca Mais: Formação e Sensibilização para o Combate aos Crimes de Ódio e Discurso de Ódio, que conta com o cofinanciamento do Programa Direitos, Igualdade e Cidadania/Justiça da União Europeia.

Além da APAV, foram também distinguidos: RTP - Rádio e Televisão de Portugal; o documentário "Até que o porno nos separe" de Jorge Pelicano; a jornalista Carolina Reis (Expresso); o "coming out" de Célio Dias, Sandra Cunha, Adolfo Mesquita Nunes, Gabriela Sobral e Inês Herédia; partidos e deputada pela igualdade: PS, BE, PCP, PEV, PAN e Deputada Teresa Leal Coelho.

A cerimónia de entrega dos Prémios Arco-Íris 2018 realizou-se no dia 12 de janeiro no Time Out Market, em Lisboa, numa cerimónia conduzida por Rita Ferro Rodrigues e Rui Maria Pêgo. A cerimónia contou com actuações de três rappers - Papillon, Estraca e Malabá - que interpretaram ao vivo três temas da campanha #RespectBattles.