• banner CARE 404x132
  • banner cansada

II Congresso AAPC: "As várias Faces do Crime Violento: Impacto, Prevenção e Intervenção” | 23/24 Fevereiro

A Associação Académica de Polícia Criminal, com o apoio da Escola de Polícia Judiciária, vai promover o II Congresso subordinado ao tema  "As várias Faces do Crime Violento: Impacto, Prevenção e Intervenção”.

O evento terá lugar nos próximos dias 23 e 24 de fevereiro, nas instalações do Edifício Sede da Polícia Judiciária (Auditório 1), em Lisboa. 

Eeste congresso conta com a participação de algumas individualidades intervenientes nesta temática, na expetativa de contribuir para um espaço de reflexão alargado e para o sucesso no combate a este tipo de criminalidade.

A APAV estará presente no congresso, representada por Sofia Nunes (painel "Violência Sexual").

Inscrições:
21 984 42 05 / Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Programa

APAV Açores | Jogo Solidário de Futebol | 25 Fevereiro

No âmbito do 10º aniversário da APAV Açores, no dia 25 de Fevereiro realiza-se um Jogo Solidário de Futebol.

Este evento, co-organizado com a Fundação Pauleta, terá lugar em São Roque - Ponta Delgada.

O jogo, que vai contar com a participação do ex-internacional português, está marcado para as 19h00 e o bilhete tem o valor simbólico de 2€.

APAV Notícias #71 | Fevereiro 2017

A newsletter APAV Notícias, boletim informativo da APAV, apresenta um resumo das actividades mais recentes da Associação. A edição #71, fevereiro de 2017, reúne informação sobre: a nova campanha de sensibilização sobre violência no namoro; a assinatura do protocolo para o apoio a vítimas de crime no Alto Alentejo; o Seminário "Práticas e Reflexões para o Futuro no Acolhimento de Vítimas de Violência Doméstica", que terá lugar no dia 29 de Março; e a 14ª edição da Corrida de Solidariedade ISCPSI/APAV e Marcha das Famílias, que se realiza no dia 26 de Março. A newsletter inclui ainda vários destaques.

Consulte aqui a newsletter:
APAV Notícias #71 | Fevereiro 2017

Estatísticas APAV | Vítimas de Discriminação 2011-2015

A discriminação caracteriza-se por uma ação ou omissão que dispense um tratamento diferenciado (inferiorizado) a uma pessoa ou grupo de pessoas, em razão da sua pertença a uma determinada "raça", cor, sexo, nacionalidade, origem étnica, orientação sexual, identidade de género ou outro fator. No âmbito da discriminação, existem os chamados crimes de ódio, que podem ser definidos como a prática efetiva de atos de violência motivados pelo facto de a vítima apresentar determinada característica (como certa origem "racial", orientação sexual ou origem nacional, por exemplo) ou de pertencer a um determinado grupo (como ser seguidora de uma religião).

Desde a sua fundação, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) apoiou mais de 680 vítimas de discriminação, no âmbito da sua missão de apoio a vítimas de crime em território português.

Entre 2011 e 2015 a APAV apoiou 310 vítimas de discriminação, tendo 66% dos casos chegado à sua rede especializada de Apoio à Vítima Migrante e de Discriminação (UAVMD). 24% dos processos configuravam-se como crimes de discriminação e a maioria das vítimas não apresentou queixa às autoridades (61,5%). Relativamente à relação com o/a autor/a da discriminação, em 43% dos 310 processos acompanhados a vítima ou optou por não responder a esta questão, ou preferiu não identificar o/a autor/a do comportamento discriminatório, podendo ou não conhecê-lo/a.

Contrastando as 310 vítimas apoiadas pela APAV com os valores referentes a crimes contra a identidade cultural e integridade pessoal efetivamente reportados às autoridades oficiais entre 2011 e 2015 (22 vítimas), conclui-se acerca da invisibilidade do fenómeno e da necessidade de um trabalho concertado entre as diferentes entidades envolvidas no apoio a vítimas de crime no sentido de uma maior sensibilização e aumento da qualidade do apoio prestado a este tipo de vítimas.

A discriminação não pode ser remetida ao silêncio. A APAV está disponível para apoiar através dos diferentes serviços, nomeadamente da Linha de Apoio à Vítima - 116 006 - número gratuito e confidencial.


Estatísticas APAV | Vítimas de Discriminação 2011-2015 (PDF)

Projecto T@lk | Resultados do inquérito sobre o apoio à distância para as vítimas de crime

As tecnologias de informação e comunicação constituem, cada vez mais, ferramentas fundamentais para o acesso a apoio e/ou a informação em situações de violência ou crime. Ferramentas como o e-mail, os websites informativos ou as linhas de apoio representam serviços de apoio à distância valiosos para as vítimas de crime, em particular para as que, de outra forma, não acederiam a serviços de apoio.

Perante esta realidade e as mudanças na forma como a comunicação é atualmente efetuada, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima realizou um inquérito sobre o apoio à distância para as vítimas de crime, tendo contado com a participação de 60 organizações e serviços de apoio à vítima na Europa.

Os resultados deste inquérito revelaram que a maioria das entidades participantes refere dispor de alguma forma de apoio à distância para as vítimas de crime, seja através de linhas telefónicas de apoio à vítima, de ferramentas de apoio online ou de ambas.

No caso concreto do apoio online para as vítimas de crime, as formas convencionais de apoio e/ou informação, como o e-mail ou os websites, foram apontadas como as ferramentas mais utilizadas pelas vítimas.

As organizações e serviços de apoio à vítima identificaram diversas vantagens relativamente ao apoio online para as vítimas de crime, de entre as quais se destaca a maior acessibilidade ao apoio existente e a flexibilidade/conveniência no acesso aos serviços. Os resultados relevaram ainda que uma proporção significativa das entidades sem ferramentas de apoio online para as vítimas de crime evidencia alguma indecisão ou relutância quanto ao desenvolvimento/implementação deste tipo de serviços de apoio.

Este inquérito foi desenvolvido no âmbito do Projeto T@LK – apoio online para as vítimas de crime, promovido pela Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) e cofinanciado pelo Programa Justiça da União Europeia. Este projeto conta com a parceria de Victim Support Malta, Human Rights Monitoring Institute, Victim Support Finland, Catalan Society of Victimology e do Victim Support Europe.

O relatório completo com os resultados do inquérito está disponível aqui.

Facebook Kapak Resimleri en yeni oyunlarkız oyunları php dersleri canadian provincial flagscustom flag bayrak custom flagscustom flag promosyon